apostaganhabr

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
ESTATÍSTICA

Sistema vai monitorar adolescentes atendidos pela Fasepa

Por Redação - Agência PA (SECOM)
09/03/2015 21h08

Com o objetivo de monitorar os internos atendidos pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e levantar informações estatísticas sobre as principais infrações cometidas pelos adolescentes em conflito com a lei no Pará, foi iniciada nesta segunda-feira (09), na Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), uma oficina de capacitação sobre o Sipia/Sinase (Sistema de Informação Para Infância e Juventude/Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo), que está sendo implantado em todo o país e integra bancos de dados da política pública, do Judiciário e do ambiente de atendimento socioeducativo, permitindo o registro de todos os atendimentos aos adolescentes em conflito com a lei.

A oficina de capacitação é desenvolvida pela Fasepa, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD Brasil), Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH), EGPA e Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). O objetivo é qualificar os servidores que atuam no sistema de garantia dos direitos de atendimento socioeducativo, entre os quais profissionais da Fasepa e Seaster, sobre o uso do sistema, que tem abrangência nacional e traça um panorama do atendimento socioeducativo no Brasil.

A consultora do PNUD Brasil, Liliana Cláudia Vieira, é a responsável por ministrar a oficina, que terá duração de cinco dias. Segundo ela, o sistema vai facilitar o fluxo de atendimento ao adolescente acolhido nas unidades socioeducativas, apresentando informações como histórico do interno, principalmente se já cumpriu alguma medida de internação anteriormente. “O sistema vai monitorar todo o atendimento, como as estatísticas daquela unidade em relação ao adolescente e o que ele fez ou deixou de fazer. A Justiça, quando pedir essas informações, terá todo esse levantamento, e isso é um ganho de tempo que torna ágil o serviço”, explicou.

A expectativa, segundo Liliana Vieira, é que o governo tenha uma noção de como está o atendimento e o cumprimento das medidas socioeducativas no país, e se há políticas públicas voltadas a esse segmento. “É muito interessante esse serviço, com uma nova perspectiva, que vai proporcionar vários avanços dentro da socioeducação”, frisou.

A oficina faz parte de um conjunto de ações realizadas pelo governo do Estado para atualização constante no Sipia/Sinase das informações sobre os adolescentes em conflito atendidos pela Fasepa.

Qualificação - De acordo com o presidente da Fasepa, Simão Bastos, tanto os profissionais da sede administrativa, quanto os servidores que atuam nas unidades socioeducativas da Região Metropolitana de Belém, participam da oficina desenvolvida durante a semana. Ainda em março as unidades do interior receberão a oficina de qualificação para o sistema. Esse será o primeiro passo para qualificar os servidores e, finalmente, implantar o Sipia/Sinase no Pará. “Pegamos uma mostra de todos os profissionais que atuam na socioeducação e, nas próximas semanas, vamos levar a oficina para as unidades de Marabá (no sudeste) e Santarém (no oeste)”, informou.

Para implantar o serviço na Fasepa, cada unidade socioeducativa receberá um computador para alimentar o sistema com informações das unidades socioeducativas de internação e semiliberdade. Os equipamentos foram entregues por meio da parceria entre a Fasepa e o Tribunal de Justiça do Pará, que garantiu a doação de 105 computadores para as unidades de atendimento socioeducativo.

Jacirene Navegantes, servidora do Centro de Internação do Adolescente Masculino (Ciam), já conhecia o Sipia/Sinase e destacou que o uso do sistema vai integrar todas as unidades da Fasepa e ver todos os passos do adolescente que cumpre medida socioeducativa. “Como ele é um sistema único, a gente tem como acompanhar o movimento do interno dentro da medida. Atualmente, a gente troca informações, de unidade para unidade. Mas com o Sipia será mais rápido, com certeza”, afirmou.

Proteção integral - O Sipia/Sinase tem abrangência nacional e integra as unidades executoras de medidas socioeducativas com outras instituições, como o Ministério Público, as Varas da Infância e Juventude, delegacias, Creas (Centros de Referência Especializados em Assistência Social) e demais órgãos das esferas municipal, estadual e federal. A Fasepa compõe o Sistema de Garantia de Direitos (SGD), o qual promove a proteção integral ao adolescente que cumpre medida socioeducativa.

Atualmente, 358 adolescentes em conflito com a lei estão nas 15 unidades da Fasepa. Desse total, 100 aguardam sentença nas unidades de internação provisória, localizadas nos municípios de Belém, Ananindeua, Santarém e Marabá.

A oficina de capacitação para o Sipia/Sinase prossegue até a próxima sexta-feira (13), com atividades desenvolvidas no Centro Regional de Treinamento da Escola de Administração Fazendária (Esaf), antigo Convento dos Mercedários, localizado na Rua Gaspar Viana, nº 125, bairro da Campina.

apostaganhabr Mapa do site