e2023

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
SAÚDE

HGT faz alerta à osteoporose com dicas para uma vida mais saudável

A doença pode ser evitada com hábitos saudáveis, entre eles, exercícios físicos e boa ingestão de cálcio, que é responsável pela formação da estrutura óssea

Por Governo do Pará (SECOM)
20/10/2022 17h08

Em alusão ao Dia Mundial e Nacional de combate à Osteoporose, lembrado nesta quinta-feira (20/10), o Hospital Geral de Tailândia (HGT), por meio do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), realizou ação educativa de combate e conscientização para prevenir a doença, visando o bem-estar de quem vai em busca de atendimento na unidade hospitalar.

O evento de educação em saúde foi conduzido pela fisioterapeuta, Fernanda Cordeiro; e pela nutricionista Clínica, Katrinne Mayanne, com visita em leitos de usuários internados e seus acompanhantes. A ação levou dicas de alimentação saudável e exercícios fisioterapêuticos para prevenção da doença, conhecer seus sintomas e o tratamento adequado.

Na oportunidade, houve avaliação sobre a necessidade de suplementação alimentar disponibilizada pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND), com a oferta de vitamina natural com cálcio para complementar a nutrição.

O ortopedista do HGT, Marco Varella, salienta a principal causa da doença. “É pela redução nos níveis do hormônio estrogênio. Essa diminuição faz com que o depósito de minerais e cálcio, nos ossos, não aconteça mais com tanta efetividade, resultando assim, no enfraquecimento dos ossos”. Desta maneira, a osteoporose é uma doença caracterizada pela perda progressiva de massa óssea expondo facilmente o ser humano a fraturas.

Caracterizada como silenciosa e sem apresentar sintomas, inicialmente, a doença causa mais de 8,9 milhões de fraturas por ano em pessoas de todo o mundo, resultando em fratura osteoporótica a cada três segundos, de acordo com a Federação Internacional da Osteoporose (IOF).

Segundo a IOF, calcula-se ainda, que a doença afeta 200 milhões de mulheres mundialmente. Por todo o planeta, uma em cada três, com mais de 50 anos, sofrerão fraturas osteoporóticas, assim como, um em cada cinco homens com mais de 50 anos.

Prevenção - A doença pode ser evitada com hábitos saudáveis, entre eles, exercícios físicos e boa ingestão de cálcio, que é responsável pela formação da estrutura óssea. O magnésio e a vitamina D estimulam a absorção do cálcio no organismo, além das vitaminas do complexo B. O Leite é um dos principais alimentos que ajudam na prevenção, igualmente, o Ovo consumido com a gema, é uma excelente fonte de proteína, vitamina D e cálcio.

A profissional segue listando que o “tomate é outra boa alternativa de alimentos para ajudar na prevenção, por ser rico em minerais como magnésio, ferro, fósforo, manganês e potássio. A sardinha entra na lista de alimentos. O arroz integral e a aveia são outras fontes de carboidratos que possuem um baixo índice glicêmico e fibras”.

O ortopedista também faz um alerta para evitar bebida alcoólica e o tabagismo. “O álcool aumenta o risco de perda de massa óssea, assim como o cigarro, que impede o funcionamento inadequado do estrogênio no corpo”, concluiu ao informar que, para aqueles com diagnóstico da doença, o sal em excesso faz mal, além do café e refrigerante”.

A osteoporose pode ocasionar quadros graves, como por exemplo, uma fratura de fêmur, que deixa a pessoa acamada por até oito semanas, podendo gerar complicações como a perda da musculatura e dos membros até a uma pneumonia.

“A fim de melhorar a qualidade de vida do usuário com osteoporose, a Fisioterapia oferece um trabalho de fortalecimento de músculos, que ajuda na prevenção das possíveis deformidades e fraturas ósseas, além de outras complicações; ajuda também na melhora da coordenação e do equilíbrio do usuário”, complementa a fisioterapeuta.

Participante na ação, Maria Oliveira, de 77 anos, internada na unidade hospitalar recuperando a saúde, revela que já adquiriu a doença, mas confessa que não faz o tratamento corretamente, porém, a partir de agora, com o evento educativo, promete cuidar-se mais.

“Importantíssimo essa atividade com os internados. Confesso que desde quando fui diagnosticada com a doença, nunca fui preocupada em administrar bem a alimentação e nem praticar exercícios físicos. Sou de zona rural, a gente fica preocupado em trabalhar na agricultura e esquece de cuidar da nossa saúde. Ainda sinto muitas dores pelo corpo em consequência da doença. Meus filhos brigam comigo pra eu ter cuidado com a alimentação, mas sou muito teimosa”, concluiu com um sorriso. 

De janeiro a setembro de 2022, o HGT já promoveu 1.832 consultas em ortopedia, além de realizar cerca de 500 cirurgias na especialidade.

Estrutura - O HGT tem 51 leitos e mantém uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com nove leitos, sendo seis adultos e três pediátricos. Os usuários que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS) têm acesso aos serviços oferecidos pelo HGT por meio da Central de Regulação Municipal e Estadual, e aos de urgência e emergência em livre demanda ou encaminhados pelo Samu, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Rodoviária.

Serviço- O HGT é uma unidade de saúde do Governo do Pará, administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O hospital fica na avenida Florianópolis, s/n, no bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752.3121.

Texto de Pallmer Barros/Ascom HGT

e2023 Mapa do site