hifunbet

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
SAÚDE

CIIR realiza evento nutricional para desmistificar a seletividade alimentar em autistas 

Médicos explicam que, na prática, a seletividade alimentar é quando a pessoa limita de uma forma incomum a variedade de alimentos que come

Por Pallmer Barros (CIIR)
20/10/2023 16h05

O Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), em Belém, realizou nesta sexta-feira (20), em seu Auditório, a última sessão de Treinamento Nutricional com a temática “Seletividade Alimentar”, conduzido pela equipe multiprofissional do serviço de nutrição com o objetivo de orientar os acompanhantes sobre a importância da alimentação balanceada para as crianças com autismo assistidas pela instituição. 

A ação de educação em saúde alimentar iniciou no dia 6 de outubro e contou com a participação de 100 pais até esta sexta-feira, no encerramento. Também houve roda de conversa na sala de reuniões no Núcleo de Atendimento Transtorno do Espectro Autista (Natea). O evento foi uma proposta da instituição para celebrar o Dia Mundial da Alimentação, lembrado no dia 16 de outubro.   

De acordo com a nutricionista Clínica, Luana Oliveira, “as mães, por exemplo, acabam conhecendo a seletividade porque os filhos começam a ter recusa de certos alimentos devido textura, consistência ou sabor. É uma questão do Transtorno do Processamento Sensorial em que os autistas apresentam”. 

Participante do evento, Paula Aguiar, de 40 anos, mãe de Pedro, de 10 anos, conta que o garoto iniciou o seu acompanhamento em nutrição recentemente para reverter o quadro clínico de seletividade alimentar. 

“Ele seleciona muito os alimentos. Prefere mais frutas, entre elas, o açaí, que toma todos os dias. Agora, comer feijão, carnes (bovina ou frango) e arroz, por exemplo, ele tem recusa alimentar. É preocupante, porque a criança necessita de todos os alimentos nutritivos para se desenvolver de uma forma saudável. Durante o treinamento, a nutricionista nos deu dicas e o passo a passo de como a gente pode reverter esse quadro. Como devemos agir, em casa, de forma didática para a criança ir experimentando outros alimentos e, assim, aceitá-los. Foi bem proveitoso o treinamento”, analisou.

Suporte Nutricional - Durante as consultas no setor de nutrição, os acompanhantes recebem orientações nutricionais para auxiliar os usuários, por intermédio de diagnósticos. No autismo, é dialogado a seletividade alimentar, a principal queixa dos acompanhantes durante as consultas segundo a equipe multiprofissional do setor de nutrição. 

“Desta maneira, analisamos cada caso para saber qual a melhor conduta para minimizar essa seletividade de alimentos, e fazer com que a criança seja estimulada a abrir mais ao leque de ingestão alimentar”, observa Luana Oliveira. 

Nutrição e Saúde – A didática de atendimento tem o objetivo de orientar os acompanhantes com relação à importância da alimentação para o ganho de peso, pois as terapias proporcionadas pelo CIIR no cronograma de reabilitação, como a hidroterapia e os esportes adaptados, “são atividades que promovem maior gasto energético, por isso, pode haver perda de peso e de massa muscular se a pessoa não estiver em um acompanhamento nutricional adequado. Portanto, o profissional nutricionista tem um papel fundamental na reabilitação das Pessoas com Deficiência, principalmente, crianças”, complementa a nutricionista.

Para evitar a perda de peso e o risco de adoecimento, a equipe de nutricionistas do CIIR pode intervir com auxílio de uma suplementação, principalmente, se o reabilitando apresentar alguma carência nutricional ou baixo peso. “Por exemplo, um adolescente de 15 anos com peso e massa corporal 30 kg, ele precisa, de acordo com a altura, no mínimo, 40 kg para esta idade”, observou a profissional. 

Para que o acompanhamento nutricional transcorra adequadamente, é necessário o suporte de uma equipe multiprofissional composta ainda por especialistas da fonoaudiologia, terapia ocupacional e da medicina.

O CIIR é referência no Pará na assistência de média e alta complexidade às Pessoas com Deficiência (PcDs) visual, física, auditiva e intelectual. Os usuários podem ter acesso aos serviços do Centro por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, acolhidos pela Central de Regulação de cada município, que por sua vez faz o encaminhamento à Regulação Estadual. O pedido será analisado conforme o perfil do usuário pelo Sistema de Regulação Estadual (SER).

Serviço:O CIIR é um órgão do Governo do Pará administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O Centro funciona na rodovia Arthur Bernardes, n° 1000, em Belém. Mais informações: (91) 4042.2157 / 58 / 59.

hifunbet Mapa do site