sambafoot

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
MEIO AMBIENTE

Estado avança com as obras do Parque de Bioeconomia e Inovação da Amazônia

Uma das entregas do Executivo Estadual para a COP 30, obras do Espaço no Porto Futuro 2, em Belém, seguem aceleradas

Por Igor Nascimento (SEMAS)
09/02/2024 08h00

As obras do Espaço de Inovação em Bioeconomia, no Porto Futuro 2, em Belém, seguem aceleradas. Equipes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas) visitaram nesta quinta-feira (8) a estrutura que faz parte do ecossistema do Parque de Bioeconomia e Inovação da Amazônia, que é uma das entregas do Executivo Estadual para a COP 30. 

Para a execução do projeto, a estrutura metálica dos Armazéns 5 e 6 está sendo restaurada. Atualmente, está em execução o jateamento das estruturas dos galpões pré-existentes com partículas de vidro para limpar e retirar a corrosão das peças, que irão em seguida passar por pintura especial para garantir a preservação do prédio, que é histórico. O próximo passo será o fechamento das estruturas com material termo acústico para a lateral e cobertura dos galpões.

“O Espaço de Inovação faz parte do ecossistema do Parque de Bioeconomia, que é um projeto estruturante previsto no Plano de Bioeconomia do Estado do Pará. Então, é um centro que vai oferecer serviços para os empreendedores da bioeconomia paraenses. E nós estamos fazendo regularmente o acompanhamento dessas obras, que estão aceleradas”, destaca o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade Mauro O’ de Almeida. 

Os serviços do Espaço de Inovação em Bioeconomia da Amazônia serão oferecidos para empreendedores e negócios comunitários vinculados à bioeconomia. O ecossistema do Parque de Bioeconomia e Inovação da Amazônia é composto pela Escola de Saberes da Floresta, Centro de Turismo de Base Local, Centro de Cultura Alimentar e Centro da Sociobioeconomia do Pará. 

O Governo do Pará definiu a bioeconomia do Estado como uma estratégia voltada para o alcance da transição para uma socioecononomia de baixo carbono. 

O objetivo desta política é promover o bem viver por intermédio da mitigação de emissões de gases de efeito estufa através da geração de riqueza por intermédio de atividades produtivas e negócios sustentáveis que mantenham a floresta viva, reduzindo os impactos das mudanças climáticas. 

“O Parque Bioeconomia foi concebido como parte da estratégia de Bioeconomia do Pará, que estabelece procedimentos para reorientar o desenvolvimento socioeconômico na perspectiva de uma bioeconomia sustentada em soluções baseadas na natureza, valorizando o conhecimento tradicional e sistemas de produção combinados com elementos e funções ambientais. Os objetivos do Parque Bioeconomia envolvem a promoção da geração, divulgação e troca de conhecimento científico e tradicional; a expansão da infraestrutura para pesquisa, desenvolvimento e inovação na área da bioeconomia; ampliar e impulsionar o ambiente de bionegócios no Pará”, explica a diretora-geral do Núcleo Executor do Programa Municípios Verdes, da Semas, Camilla Miranda. 

O Espaço de Inovação do Parque de Bioeconomia da Amazônia será implantado nos Armazéns 5 e 6 do Porto do Futuro 2, dentro do conjunto de armazéns que faz parte do complexo que está sendo recuperado. Cada um dos armazéns tem uma área útil de 2.000 m2 (20 m x 100m), sendo ainda possível a instalação de um mezanino com aproximadamente 1.000 m2, totalizando cerca de 3.000 m2 em cada armazém. Dessa forma, a área total prevista para o Espaço de Inovação é de aproximadamente 6.000 m2. 

"A infraestrutura conta com unidades de manufatura com capacidade de operacionalização técnica e profissional, para agir em parceria com negócios comunitários, empresas estabelecidas ou startups no desenvolvimento e fabricação de produtos  originários da bioeconomia amazônica. O local foi planejado para impulsionar o desenvolvimento de negócios comunitários, fornecendo capacitação para auxiliar no fornecimento de matéria-prima de alta qualidade ou com transferência de treinamento e conhecimento sobre processos industriais”, finaliza Camilla Miranda.

sambafoot Mapa do site